BRINCARTE

BRINCARTE
BRINCARTE

Monday, January 21, 2008

PROJETO BRINCARTE NAS ESCOLAS



PROJETO ESCOLA DAS EDIÇÕES NASCENTE –CAMPANHA TODO DIA É DIA DE SER CRIANÇA

APRESENTAÇÃO

O espetáculo infantil e recreação educativa Nitolino no Reino Encantado de Todas as Coisas faz parte do Projeto Escola das Edições Nascente e da campanha Todo dia é dia de ser criança.
A realização tem por base o fato de que a criança se movimenta e aprende desde o nascimento e precisa ser estimulada, propiciando um ambiente para que possa desenvolver sua imaginação, tornando mais ativo seu potencial criador.
Por esta razão, a criança no seu desenvolvimento atravessa fases e o desenvolvimento da infância na atualidade está em um processo acelerado de mudanças, quando as potencialidades estão precoces.
É preciso levar em conta que a infância tem por objetivo o treinamento, pelo jogo e brincadeira, das funções tanto psicológicas quanto psíquicas.
O jogo e a brincadeira são, assim, os centros da infância, e não se pode analisá-la sem atribuir-lhe um papel de pré-exercício, uma vez que possui o papel de exercitar as funções.
Pelo jogo e pela brincadeira a criança desenvolve as possibilidades que emergem de sua estrutura particular, concretiza as potencialidades virtuais que afloram sucessivamente à superfície de seu ser, assimila-as e as desenvolve, une-as e as combina, coordena seu ser e lhe dá vigor.
Assim, visando contribuir para formar uma criança saudável e desenvolver sua capacidade de aprender a aprender, sua capacidade de pensar e estabelecer as bases para a formação de uma pessoa ética capaz de conviver num ambiente democrático e seu processo de socialização com o seu meio, este projeto propõe a realização de um espetáculo infantil e recreações com atividades que desenvolvem um conjunto de conhecimentos, habilidades, atitudes e valores, pautadas no reino da fantasia e no faz de conta, envolvendo a Literatura, a Música e o Teatro Infantil em um mesmo contexto de apresentação.
Com isso, elaborou-se o espetáculo infantil “Nitolino no Reino Encantado de Todas as Coisas”, trabalhando o hábito da leitura e o respeito às diferenças por meio do frevo, contação de histórias e cantoria, articulada com os temas transversais cidadania, meio ambiente, saúde, multiculturalidade e ética, posicionando-se, assim, pela esperança de um país melhor a partir do olhar no futuro das crianças.
Este projeto se desenvolve com as perspectivas da sustentabilidade, solidariedade e alteridade, baseada nas previsões dos artigos 205 e 215 da Constituição Federal, e as determinações da Lei 9394/96 de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDBEN.
O projeto consiste na apresentação do espetáculo infantil e recreação para as crianças da Educação Infantil e do primeiro ciclo do Ensino Fundamental.
O espetáculo infantil já foi apresentado no Espaço Cultural Linda Mascarenhas, em Maceió, gratuitamente para a garotada das escolas da rede pública de Alagoas, e as recreações pedagógicas já foram apresentadas na Bienal Internacional do Livro de Alagoas, no SESC Jaraguá e nas escolas Cecília Meirelles, Vovó Eulália, Colégio Anchieta, Elite, Imaculada Conceição, Escola Estadual Josefa Conceição da Costa, entre outras.

JUSTIFICATIVA

Levantando a bandeira da dignidade humana e do exercício da cidadania na proposta de um Brasil melhor para todos, este projeto faz parte das propostas de trabalho das Edições Nascente e da campanha Todo dia é dia de ser criança.
Assim, este projeto se baseia, conforme mencionado no texto de apresentação, no poder da arte e da cultura e sua contribuição para a prática educativa e a aprendizagem, sendo a educação observada a partir dos ditames constitucionais e das previsões da LDBEN mencionadas.
Em razão disso, este projeto leva em consideração que a arte é um fazer que integra um conjunto de atos pelos quais se participa na vida, se muda a forma, se transforma, sendo a matéria oferecida pela natureza e pela cultura.
Nesse sentido, qualquer atividade humana, desde que conduzida a um fim, pode chamar-se artística. Isto quer dizer que a arte é produção; logo supõe trabalho e movimento que arranca o ser do não ser, a forma do amorfo, o ato da potência, o cosmo do caos. E vice-versa.
A partir disso, observa-se que a arte faz com que a criança por meio da brincadeira e do jogo realize seus sonhos e desejos facilmente, quantas vezes quiser, criando e recriando situações que ajudem a satisfazer alguma necessidade presente em seu interior, usando capacidades como observação, imitação e imaginação, dando lugar a uma realidade mais elaborada que além de ajudá-la a compreender a dimensão de sua existência, facilita o entendimento infantil na assimilação dos papeis sociais que fazem parte da cultura, como a família, a escola, a vida, entre outras.
É por meio desta arte representativa que a criança aprende a lidar com regras e normas sociais, desenvolvendo a capacidade de interação e aprendendo a se articular com o limite. E, para tanto, as apresentações artísticas com brincadeiras e jogos estabelecem regras que são fundamentais para as crianças de todas as idades.
Fica claro, portanto, que as crianças evoluem por intermédio de suas próprias brincadeiras e das invenções das brincadeiras feitas por outras crianças e adultos. Nesse processo, ampliam gradualmente sua capacidade de visualizar a riqueza do mundo externamente real e, no plano simbólico, procuram entender o mundo dos adultos, pois ainda que com conteúdos diferentes, estas brincadeiras, possuem uma característica comum: a atividade do homem e suas relações sociais e de trabalho.
Deste modo, elas desenvolvem a linguagem e a narrativa e, nesse trâmite, ainda, vão adquirindo uma melhor compreensão de si próprias e do outro, pela contraposição com coisas e pessoas que fazem parte de seu meio, e, que são, assim, culturalmente definidas também. E além de ser uma situação imaginária, é conveniente observar que as narrativas, teatralizações, cantorias e o brinquedo são também atividades regidas por regras.
Também convém ressaltar que ao brincar com o universo de vários personagens em busca de um reino no qual possa existir todas as coisas, define-se a curiosidade para saber o que são todas as coisas, além de promover, com essa curiosidade, o hábito da leitura pela pesquisa e investigação.
Assim sendo, tanto pela criação da situação imaginária, como pela definição de regras específicas, o brinquedo cria uma zona de desenvolvimento proximal na criança. Isto quer dizer que no brinquedo a criança comporta-se de forma mais avançada do que nas atividades da vida real e também aprende a separar objeto/significado.
Neste caso, a brincadeira e o faz-de-conta permitem a reconstrução interna daquilo que é observado externamente e, nesse contexto, por meio da imitação são capazes de realizar ações que ultrapassam o limite de suas capacidades.
É necessário ainda evidenciar que a infância, no contexto da Psicologia da Aprendizagem, é tratada como uma etapa de preparação do pensamento para a vida adulta. Por isso, o pensamento infantil não tem ainda uma lógica racional. Entretanto, quanto ao seu desenvolvimento cognitivo, a ênfase não pode ser naquilo que a criança ainda não dá conta, mas sim naquilo que só ela é capaz de fazer.
No tocante à diversidade da expressão artística, é preciso assinalar que a literatura, a música e o teatro infantis são adequados às fases do raciocínio infantil que é dividido em idade cronológica.
Daí, entendendo que a literatura, quando essencialmente de natureza lúdica, onírica e mágica, e cujo conteúdo caracteriza-se pela inverossimilhança, por meio de músicas e teatralizações, nela aparecem os sonhos, a imaginação, o mito, o mistério, envolvendo o universo proposto que acaba se tornando num mundo encantado de brinquedo, entrando em contato com seres fantásticos e com a realidade do seu meio na metáfora da vida.
Assim, brincar de faz-de-conta leva a criança a desenvolver algumas capacidades importantes como: a atenção, a imitação, a memória e a imaginação, experimentando essa linguagem quando ela passa a atuar dominando o mundo, compreendendo como ele é.
Daí perceber-se que a importância da utilização da arte no cotidiano escolar, notadamente para as crianças de Educação Infantil e de Ensino Fundamental, possibilita um melhor relacionamento dos alunos com as práticas e o acesso ao conhecimento da arte, mas sem a pretensão de atingir uma verdade única. Isto porque a arte pode auxiliar na fundamentação de uma proposta de ensino e aprendizagem artísticos, estéticos, e atende a essa mobilidade conceitual, apontando para uma articulação do fazer, do conhecer e do exprimir.
Aprender com arte envolve, basicamente, ver e fazer trabalhos artísticos, apreciar e refletir sobre eles. Envolve, também, conhecer, refletir sobre as formas da natureza e sobre as produções artísticas individuais e coletivas de distintas épocas e culturas.
Mediante o exposto, estas são as razões apresentadas que justificam a realização do presente projeto para as crianças da Educação Infantil e primeiro ciclo do Ensino Fundamental das redes pública e privada, por se tratar de um espetáculo que consiste numa apresentação pautada no faz-de-conta com o sentido da formação de uma conduta lúdica na criança por meio da representação dramática e musical, desencadeando o uso da imaginação criadora que possibilita o enriquecimento da identidade da criança ao experimentar outra forma de pensar e ser.
Tal condução amplia as concepções sobre as coisas e as pessoas no desempenho de vários papéis sociais na representação dos diversos personagens. Possibilita a brincadeira para a imaginação, elaborando hipóteses para resolução dos problemas infantis, passando a ter atitudes além do comportamento habitual de sua idade, porque busca alternativas para transformar a sua realidade.
Reitera-se que a justificativa do presente projeto, se dá em razão de que a arte, ou expressão artística, é um dos instrumentos de promoção humana e de desenvolvimento mental das crianças, suas predisposições, seus sentimentos, além de estruturar a capacidade criadora, desenvolver o raciocínio, imaginação, percepção e domínio motor. Em suma: justifica-se por envolver a preocupação com o desenvolvimento e formação da criança.

OBETIVOS

Objetivo Geral: Promover um momento de interação entre a arte e as crianças da Educação Infantil e primeiro ciclo do Ensino Fundamental das escolas das redes pública e privada.

Objetivos Específicos:
- Levar para as crianças da Educação Infantil e primeiro ciclo do Ensino Fundamental um espetáculo pautado no faz-de-conta, cantação e contação de histórias privilegiando a oralidade e a música regional, a partir do respeito às diferenças e promovendo o hábito da leitura a partir de temas como cidadania, ética, meio ambiente, saúde e multiculturalidade;
- Promover interação entre a arte contada, teatralizada e musicada com o universo da garotada da rede escolar;
- Enfatizar a importância da arte no processo de aprendizagem e socialização da garotada em idade escolar.

O ESPETÁCULO

ESPETÁCULO INFANTIL - O espetáculo no Teatro

O espetáculo “Nitolino no Reino Encantado de Todas as Coisas” pode ser realizado no teatro ou na escola.
No teatro, dispomos do Espaço Cultural Linda Mascarenhas, no Instituo Zumbi dos Palmares, Avenida Fernandes Lima, ao lado do CEPA, onde toda estrutura teatral está disposta para atendimento de um público infantil de 100 crianças.
Neste local é apresentada a peça teatral “Nitolino no Reino Encantado de Todas as Coisas”, com sorteio de livros, CDs e DVD, bem como é realizada a exposição desse material e do Brincarte Festa (doces e salgados).
A duração do espetáculo é de 90 minutos.

RECREAÇÃO - A recreação educativa na escola:

Na escola é apresentada a recreação educativa “Nitolino no Reino Encantado de Todas as Coisas” com a exposição de livros, CDs e DVD, bem como do Brincarte Festa (doces e salgados).
A duração da recreação é de 60 minutos.

MATERIAIS NECESSÁRIOS

O material necessário para realização do Projeto são:
- No Teatro: Para o teatro é apenas necessário o fechamento da pauta com a confirmação de presença de 100 crianças e professores acompanhantes.

- Na Escola - Na escola se faz necessário:
- Som, contendo caixas de som, microfone e pedestal para apresentação da recreação;
- Espaço para exposição de banner e livros/CDs infantis

OBSERVAÇÃO: Para ambos os casos será solicitado o encaminhamento de panfletos e material de divulgações para que os supervisores e professores possam encaminhar pelas crianças para os pais acerca do evento.

BREVE CURRICULUM DO AUTOR - LUIZ ALBERTO MACHADO: Escritor, compositor musical, radialista e pesquisador. Formação: Letras & Direito, atualmente cursa Psicologia no Cesmac. Editor do Guia de Poesia do Projeto SobreSites – RJ, e integrante da Cooperativa dos Músicos de Alagoas – COMUSA. É autor de 7 livros de poesia, 8 infanto-juvenis, 2 de crônicas e do folheto de cordel Tataritaritatá. É autor de músicas gravadas por diversos nomes da música nordestina e nacional. Realiza recreações infantis, palestras, oficinas e apresentações musicais. Escreve para jornais, revistas, alternativos, sítios, blogs e portais da Internet. CONTATOS/RESERVAS/ORÇAMENTO/PRODUTOS: Fone: (82) 8845.4611 (Oi) ou 9606.4436 (Tim) Email: contato@luizalbertomachado.com.br e www.luizalbertomachado.com.br




Gentamiga,
Visitando diversas escolas com a nossa recreação “Falange, falanginha, falangeta” dentro do projeto BRINCARTE ESCOLA, flagramos este momento da garotada.